25 de outubro de 2009

Amizades verdadeiras

Existe coisa melhor que ser rodeada por amizades verdadeiras? Verdadeiras mesmo! Do tipo que troca confidências, que não suporta ficar um dia sem bater papo(nem que seja pelo telefone!) e que mooorre de saudade em apenas um fim de semana. Não há nada melhor que a amizade, não há melhor que ter um ombro pra chorar, desabafar nos momentos deprês. Amigos de verdade não se importam com as diferenças, não segurem padrões sociais, e aceitam o outro com seus defeitos e qualidades. Por que afinal, como dizem por aí, ninguém é perfeito!

Bruna em... Noite do filme

Que minha opinião seja bem esclarecida. Garotas deveriam ser terminantemente proibidas de irem a locadora juntas, principalmente garotas com preferências tão distintas quanto nós.

- Filme de terror eu não assisto! - protestou Jess jogando a franja pra trás.

- Qual é o problema? - perguntei enquanto segurava a capa do filme em questão - Vai molhar o colchão se assistir?

Ela ignorou meu comentário.

- Na boa, prefiro um romance bem meloso e dramático. Com amores impossíveis e que claro, de preferência, o casal não morra no final.

- Eeeca, Jéssica! - Débora exclamou - Tudo menos isso! Sempre tem um casalzinho hiper apaixonado que não pode ficar junto por algum motivo. Mas no final, ou conseguem superar as barreiras ou fazem um pacto suicida.

- Nem todo romance se resume a "Romeu e Julieta", mas eu ainda prefiro o de terror! - Argumentei.

Cristina estava na sessão de comédia. Fomos até lá para saber a opinião dela sobre a discussão.

- Que tal "American Pie"? - ela sugeriu. Eu, Jéssica e Débora a olhamos com descrença.

- Quer trocar um romance super fofo por um filme de sacanagem?

- Não é de sacanagem, Jess! - Vociferou Cris.

- Fala sério! - tive que me intrometer - Se "American Pie" não é filme de sacanagem, o Jô Soares tem anorexia!

- Que saco, gente! Será que dá pra escolher logo? - Débora reclamou.

- Você tem alguma sugestão?

Jess perguntou em um tom de deboche enquanto - ainda! - olhava os DVDs de romance.

- Agente devia...

Débora parou no meio da frase. Percebemos que seu olhar estava fixo em algo ou alguém atrás de nós. Sem cerimônia, eu, Jess e Cris viramos nossas cabeças e pudemos ver três garotos entrando na locadora. O primeiro era moreno, tinha traços mexicanos e um estilo playboy. O segundo era alto, magro e tinha o cabelo espetado. Já o terceiro fazia mais a linha "skatista".

- O my good!

Jess exclamou sem se preocupar em regular a altura de sua voz. Cris lhe deu um tapa no ombro para que desviasse o olhar. De todas, Jess era a única que não podia paquerar, mas às vezes tinhamos que lembrá-la disso.

- Tá maluca? - perguntou Cristina.

- Qual o problema?

- Qual o problema, Jéssica Mendonça? - Cris perguntou ironicamente - Quer mesmo que eu responda em alto e bom som?

- Olha só... a santa....

- Não se faça de inocente! Como quer que o Léo te dê valor?

- O Léo é um idiota! Não sei porque ele ainda não me pediu em namoro. Como dizem por aí " Não deu assistência, perdeu pra concorrência".

- Mas ele vai pedir, isso é um fato. E você gosta dele.

Jess ficou com peso na consciência.

- Tá... eu sei. Mas esse moreninho...

Começamos a rir. O moreno estava à alguns metros de nós e tive certeza de que ouvira o comentário de Jéssica.

- Com licença. Será que você podia me ajudar a escolher? - o moreno perguntou enquanto se aproximava de Jess. Débora tentou prender o riso, e sua expressão angustiada não colaborou nem um pouco pra nossa tentativa de parecer centradas - Estou em dúvida entre um filme de ação ou um de terror bem assustador.

- Ação! - Jess respondeu sem pestanejar - Com certeza! Mas também depende, filme de ação policial já tá muito clichê.

- Porque tá muito clichê? - Cris quis saber - Eu adoro!

- Você gosta de qualquer porcaria.

- É verdade, Jess. Eu gosto de você!

- Ridícula!

- Calma, gente! Vocês vão acabar assustando o garoto, - Débora exclamou - entendi o que a Jess quis dizer, ação policial sempre o policial ou detetive só resolve o crime quando é afastado do caso, as explosões só acontecem em câmera lenta, o mocinho quase sempre é baleado, mas nunca morre no final.

- Eu nunca tinha pensado nisso, - admitiu o moreno.

- Não precisa. Vocês, garotos, nunca pensam muito mesmo. Deixe essa parte pra nós.

- A sua sorte é que eu adoro garotas espontâneas. Posso saber seu msn?

- Sabe qual é o problema? Mamãe me ensinou a não dar confiança pra estranhos.

- Ainda bem que eu só to pedindo o msn. Depois convenço sua mãe sobre a questão da confiança.

Débora pegou um panfleto da locadora e começou a escrever. Logo notei que nao era seu msn.

agenteseveporai@beijus

O garoto leu e fez uma cara, provavelmente nao quis parecer insistente. Minutos depois, ele e seus amigos saíram do estabelecimento.

- Porque você fez isso?! - Cris perguntou inconformada - Aquele não era seu msn.

- Fala sério! Tá na cara que ele é só mais um filhinho de papai que quer zoar. Sinceramente, não sou o tipo de garota que aceita isso.

- EU SOU! Gato desse jeito, pode ser filhinho de papai, de mamãe, de titia, de vovó...

Cris exclamou fazendo com que todas nós caíssemos na gargalhada. Ao fim de tudo, cada uma escolheu seu filme. Achamos que a discussão acabaria, mas ao chegarmos à casa de Jéssica, notamos que estávamos completamente enganadas.

- O de terror primeiro! - Ordenei.

- Não! American Pie primeiro!

- Não, Cris! Eu moro aqui, então tenho minhas prioridades. Vamos ver primeiro o de romance!

- Isso é abuso de poder! - Débora vociferou. - Noivas em guerra primeiro, pooor favor!

Ficamos em silêncio por alguns segundos.

- Vocês estão sentindo esse cheiro? - perguntei - Jess, você deixou alguma coisa no microondas antes de saírmos?

- Deixei, mas eu coloquei no ajuste de tempo automático. Era pipoca.

- Quantos minutos você marcou?

- Sei lá, Bruna! Não me lembro. Acho que dez.

- QUE?! - gritamos em coro.

- Eu não sabia. Tenho preguiça de ler embalagens, às vezes queimo até miojo!

Fomos até a cozinha e jogamos a pipoca no lixo. Tivemos que abrir as janelas pois o cheiro estava insuportável.

- E agora? - Cristina perguntou, mas logo teve a resposta.

Começamos a fazer guerra de almofadas. Lição número um sobre assistir filme com as amigas: dificilmente alguém assiste. Algumas vezes a maioria dorme, outras vezes ficam conversando (O que foi o nosso caso!) até que foi bom pois evitou uma bela briga.

Horas depois ligamos pro disk pizza.

- Giro Poit, boa noite! - A atendente falou. Jess colocou no viva-voz. Perguntei que sabores estavam disponíveis para o valor em dinheiro que tinhámos. - Só temos mussarela, provolone, calabresa e frango com catupiry.

- Provolone!

- Mussarela!

- Calabresa!

- Frango com catupiry!

Gritamos ao mesmo tempo, cada uma com sua preferência. Nossos olhares se encontraram e começamos a gargalhar. Cristina apertou o botão e desligou o telefone.

- Querem saber? Tenho uma idéia bem melhor! Jessica, você pode ficar só olhando se quiser.

Jess mostrou a lingua, como uma criança de cinco anos.

Fomos até a cozinha. Estávamos convictas de que não sairia nada meramente comestível de lá. O mais importante é que juntas nossas diferenças se misturam. Nos tornamos todas iguais, todas amigas!

9 comentários:

Fernanda disse...

Parabéns, você é muito criativa.
Amei seu blog!!!

Nunca pare de escrever

Gaby disse...

Haha!!! Tenho amigas assim!! Completamente diferentes...
Parabéns

Taís disse...

qro + histórias

Leninha disse...

Vc escreve muito bem pra 14 anos...
Parabéns

História Geral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
annenegrao disse...

Parabéns. adorei as suas histórias amor, beijão!!

Lucas Magalhães. disse...

Bela escrita, gostei bastante daqui.

Agora, os garotos daí é que são felizes. As locadoras daqui só tem idosos e animais acompanhados (Bela ambiguidade), rs.

Pra você, grandes beijos.
Pro blog, sucesso.

Até mais.

Brasigrega disse...

Parabéns pela iniciativa. Continue escrevendo, você vai longe...
Escrevo muito pouco pois, no momento estou carregada de provas e seminários na Faculdade. Faço Letras, último ano.
um abraço
Brasigrega

Anônimo disse...

Parabéns Amore... Você me deu muita inspiração, para fazer minhas cronicas também tenho 14 anos e sei que na nossa fase é muito complicado! Sempre falo isso! Beijão sucesso!

Seguidores

Visitas